You are currently viewing Vamos falar sobre empreendedorismo?

Vamos falar sobre empreendedorismo?

Hoje, graças ao reconhecimento do meu trabalho, muitas pessoas me param nas ruas e nas minhas palestras e treinamentos para me pedir dicas para empreender com sucesso, e eu sempre me emociono quando respondo. Ao contrário do que muita gente aprende por aí, não é preciso nascer empreendedor – é possível se tornar um. Uso sempre a minha história como exemplo.

Comecei a trabalhar aos 13 anos de idade como professora de Datilografia – era o máximo na época! Foram 4 anos como professora até que decidi cursar Artes Cênicas e fui trabalhar numa companhia de teatro visitando escolas e oferecendo nosso espetáculo – eu era a melhor vendedora e fechava 20 peças por mês.

Tentei viver do teatro, mas fui convidada por uma empresa de marketing promocional e eventos para ser responsável pela área Comercial da empresa. Estava com 18 anos e, assim, entrei para o mundo corporativo. Fiquei 5 anos na empresa e não tinha mais para onde crescer. Foi quando recebi outro convite e fui prestar serviços para outra grande multinacional. Depois dessa experiência, com apenas 22 anos de idade, resolvi empreender e abri minha agência de promoções de vendas. Montei tudo em 2 meses, até que descobri que estava grávida.

Tentei ser a mulher maravilha: administrar a empresa, ser mãe de um recém-nascido e cuidar das promotoras de vendas, dos pontos de vendas, do financeiro da empresa etc. Tinha um grande cliente e uma receita baixa com alta despesa, ou seja, meu negócio não estava me dando lucro. Usei o capital de giro do banco para pagar as contas, pior erro de qualquer empreendedor. E, então, tive que tomar uma decisão dolorida naquele momento: fechar a empresa e vender tudo que tinha conquistado para pagar dívidas.

Com isso, aprendi as 5 grandes lições que sempre uso como ponto de partida quando me fazem a pergunta sobre as dicas de como empreender com sucesso:

1º. Uma empresa precisa ter mais que um bom cliente.

2º. Ter um bom conhecimento de administração faz toda a diferença.

3º. Não existe “dar um jeitinho” quando você se torna responsável por um negócio próprio.

4º. Crédito rotativo, cheque especial e capital de giro não devem ser usados para pagar contas.

5º. Muita gente vai te julgar e outros vão falar que sentem muito,  mas ninguém fará nada por você.

Deixe um comentário